Por que esta cidade é a capital da tecnologia?

capital da tecnologia

Uma cidade com mais de 250 mil habitantes, a 230 quilômetros da capital paulista, conhecida como a capital da tecnologia, atualmente tem 2,5 mil doutores e conta com três instituições públicas de Ensino Superior de renome: USP, UFSCar e IFSP. Também já deu origem a 266 Projetos Pipi-Fapesp.  Já sabe qual é?

Batizada com o nome de um santo de Ancona (Itália), São Carlos ainda abriga duas instituições de ensino particulares, dois laboratórios de grande porte da Embrapa (Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária) e um Parque Tecnológico. Aqui, a efervescência de conhecimento e novas tecnologias não para.

Essa densidade acadêmica deu a São Carlos o título de cidade com o maior número per capita de doutores do país. Segundo uma pesquisa do Instituto de Química da USP, nosso município tem um doutor para cada 100 moradores. A proporção é cerca de 10 vezes maior que a nacional. E se comparada a 2012, quando os dados foram divulgados, o número é 36% maior.

Celeiro de produção tecnológica

O município desponta como um dos principais celeiros de produção tecnológica do país: da robótica à biofotônica, da óptica à aerofotogrametria, São Carlos abriga mais de 250 empresas de base tecnológica. Mais um motivo para ser reconhecida como a capital da tecnologia.

Só para se ter ideia, segundo o Instituto Nacional de Propriedade Intelectual (Inpi), a média anual na cidade é de 14,5 patentes registradas por 100 mil habitantes, contra 3,2 patentes por 100 mil habitantes em todo o país.

Parece um universo propício para instalar ambientes de inovação, não é mesmo? E é. Um levantamento feito pelo Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação apontou a cidade de São Carlos como o terceiro município do interior do Brasil que mais inova.

Ou seja, a capital da tecnologia é um lugar perfeito para gerir as emergentes empresas de tecnologia que eclodem inovação e têm dominado o mundo: as famosas startups.

Novos projetos na capital da tecnologia

O Programa Fapesp Pesquisa Inovativa em Pequenas Empresas (Pipe) apoia a execução de pesquisa científica ou tecnológica em pequenas empresas no estado de São Paulo.

Entre os objetivos do Pipe, estão o apoio à pesquisa em ciência e tecnologia como instrumento para promover a inovação tecnológica e aumentar a competitividade das empresas emergentes; induzir o aumento do investimento privado em pesquisa tecnológica; e possibilitar que as empresas e startups se associem a pesquisadores do ambiente acadêmico em projetos que visem a inovação tecnológica.

E devido ao grande número de projetos de inovação desenvolvidos aqui, São Carlos acaba se destacando e sendo escolhida para a implementação de novos planos. Essa vocação da cidade amplia o campo de atuação das startups e estimula os novos empreendedores a colocar seus projetos de tecnologia em prática.

Aglutinação de conhecimento

Nesse ambiente de tanta aglutinação do conhecimento nasceu a Liven, uma Fábrica de Startup  que tem seu foco na Tecnologia e nos 17 Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) estabelecidos pela ONU.

Também conhecidas como venture builders, as Fábricas de Startups são organizações que constroem startups usando recursos próprios, quebrando os padrões das correntes de investimento de capital de risco, aceleradoras e incubadoras.

Cada venture builder tem uma atribuição específica, geralmente em uma área de atuação em que tem know how. Com isso, consegue garantir a seus parceiros qualidade e excelência nos serviços prestados.

Por exemplo, a Liven conta com profissionais especializados em tecnologia e consegue, com isso, oferecer um conhecimento de ponta aos seus parceiros.

Escolher o modelo de Fábrica de Startups como parceiro da sua empresa, traz ainda os benefícios de do compartilhamento de recursos, tais como infraestrutura, marketing, jurídico, contábil etc.

Tudo isso faz com que o com o processo de inovação das startups seja otimizado, reduzindo os custos e, por consequência, os riscos.

du Local

Outra grande parceria, a duLocal é uma plataforma que conecta pequenos produtores com cozinheiras de periferias para oferecer aos consumidores finais marmitas preparadas com alimentos orgânicos a baixo custo.

A produção do alimento é toda feita em São Paulo. Mas, da mesma forma, a tecnologia da empresa foi criada em parceria com a Liven, que deu suporte inclusive para o desenvolvimento do MVP (Produto Minimamente Viável)

Quer saber mais sobre como funciona essa parceria startup? Entre em contato que explicaremos os detalhes.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *