Liven recebe meio milhão de Reais de investimento para alavancar startups

investimento liven

A Liven – desenvolvedora de novos empreendimentos na área de tecnologia – recebeu meio milhão de Reais de investimento para alavancar startups. O aporte possibilitou uma mudança no modelo de negócio: de Software House a empresa tornou-se uma Fábrica de Startups, também chamada de Venture Builder.

Ou seja, de desenvolvedora de software e aplicativos, a Liven passou a atuar como desenvolvedora de startups.

Alguns profissionais de renome acreditaram nesse projeto e se tornaram investidores-anjos, o que viabilizou a atuação nesse novo modelo. Os novos investidores da Liven formam um quadro experiente e eclético. Entre eles, estão:

– Denise Soares dos Santos – CEO da Beneficência Portuguesa de São Paulo
– Horst Lindner – Diretor Sênior de Engenharia do Grupo GEA
– Martin Kerkhoff – Vice-Presidente Executivo de Finanças do setor de Terapias
– Raphael Pinho – Fundador e Codiretor Geral da Spark
– Renato Coluci – Especialista em soluções para Cadeia de Suprimentos e Manufatura
– Riccardo Jorgen Mollerstrand – Founder CookieLab

Venture Builder

O negócio se expandiu. E além de garantir o conhecimento e soluções de ponta em tecnologia para as novas startups, a Liven ainda auxilia em captação de investimento, infraestrutura, marketing, apoio jurídico, contabilidade, entre outros.

No modelo de Fábrica de Startups, a Liven desenvolve a tecnologia em troca de uma futura participação na empresa. E embora a porcentagem societária seja negociável, a Liven faz questão de que o idealizador da startup fique com a maior parte.

“É como se a startup tivesse um investidor de tecnologia, mas que ao invés de ser uma pessoa física, é a própria Liven. Então, a Liven viabiliza o negócio entrando com a tecnologia e converte seu aporte em participação no futuro”, explicou Eduardo Lima Donato, um dos fundadores da Liven. Agora, a empresa busca empreendedores ambiciosos com planos de negócios que tenham o propósito de melhorar o mundo à nossa volta.

“Sempre fomos apaixonados por startups, mas não tínhamos como bancar esse investimento para a criação delas. Por isso começamos a trabalhar como Software House; e com o excedente investimos em startups próprias”, relatou.

O investimento

Tudo começou com a chegada do investidor e conselheiro estratégico Paulo Ricardo Stark, com 30 anos de Siemens, dos quais, os últimos seis na presidência da empresa.

Stark deixou o cargo de CEO da Siemens do Brasil no final de 2017 e passou a atuar com aconselhamento e mentoria para startups, justamente em função da experiência acumulada durante todo esse tempo.

“Senti que poderia ajudar as startups a navegar nesse mundo complexo de fazer negócios no Brasil, com um pouco mais de visão estratégica”, explicou.

Por ter vivido em vários países diferentes durante sua carreira, Paulo Stark chegou à Liven munido de conhecimento e experiência sobre estratégia comercial, tecnologia e networking. Tudo isso possibilita que o caminho seja trilhado com mais segurança e maior chance de sucesso.

Um novo marco

Para a Liven, a chegada do novo parceiro foi um marco importante. “Nós queremos ter pessoas à nossa volta que possam agregar com conhecimentos e contatos. Outro ponto bem importante era encontrar pessoas que estivessem alinhadas com o nosso propósito de realmente fazer a diferença na sociedade”, revelou Eduardo Donato.

Após vários contatos e reuniões com os possíveis investidores anjos, os projetos começaram a ter retorno e a primeira rodada de investimento se concretizou.

“Foi muito importante ver que pessoas com trajetórias tão bem-sucedidas confiaram em nosso novo modelo, tanto quanto nós confiamos. Então, além de possibilitar a transição do modelo de trabalho e nos consolidar como Venture Builder, o investimento também teve o efeito subjetivo de mostrar que estamos no caminho certo”, ressaltou Donato.

Rumo às novas startups

Com a capitalização e uma equipe composta majoritariamente por desenvolvedores back end, front end, designer UI/UX e business developers, era chegada a hora de desenvolver novos projetos. E buscar a criação de seus próprios negócios.

Hoje a Liven já tem algumas startups criadas dentro da empresa e nosso projeto é viabilizar de quatro a seis startups num período de 18 meses de operação a partir do investimento.Foi pensando nisso, aliás, que fiz a proposta de buscarmos os investidores anjos”, revelou Stark.

O “investimento anjo” é prática estabelecida no mercado de startups. Em geral, o negócio é feito por meio de um contrato de mútuo conversível, pelo qual o investidor faz um aporte financeiro na forma de empréstimo e tem a possibilidade de conversão em participação societária na empresa no futuro.

Em um contrato de mútuo conversível em participação societária um investidor aporta determinado valor em uma empresa sem se tornar sócio, portanto sem atuar na gestão e estratégia da empresa, e sem correr os riscos inerentes aos sócios. Ao final do período, o investidor escolhe se quer o dinheiro de volta ou se quer se tornar um sócio.

Investimento na prática

O percentual da participação que o investidor terá direito é livremente acordado entre as partes e varia de acordo com o valor investido.

“Levantei alguns nomes de pessoas que tinham interesse em conhecer de perto esse mercado e participar um pouco mais dessa nova economia, dessa nova forma de investimento. E essas pessoas se entusiasmaram com a ideia, e decidiram aportar e entrar como investidores anjos da Liven”, contou Stark.

“Esse investimento de R$ 500 mil que levantamos nessa primeira rodada nos dá condições de desenvolver os negócios, conforme tínhamos planejado”, certificou.

Ou seja, em 18 meses, seis startups devem estar em fase de expansão. A busca da Liven tem sido sim por negócios autossustentáveis que geram lucro e sejam escaláveis. Porém, é mandatório que essas startups tenham impacto social positivo e endereçem alguns problemas enfrentados atualmente pela nossa sociedade.

“Nós realmente acreditamos que unir tecnologia e empreendedorismo seja o melhor caminho contribuir com uma sociedade melhor”, finalizou Eduardo Donato

One Comment on “Liven recebe meio milhão de Reais de investimento para alavancar startups”

  1. Excelente trabalho que neste momento de crise nacional se destaca frente ao crescimento do Brasil.
    Parabéns aos fundadores.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *