Parceria Startup | Quais são as melhores opções?

parceria startup

Não tenha dúvida. A parceria é um dos melhores caminhos para as startups crescerem. Mas fazer parceria com quem e quando? Neste artigo, você irá ver as melhores opções. Vamos juntos construir esse panorama.

Sabe aquela sensação de que algo não está indo muito bem? Então, ela é mais comum do que você imagina.

A última edição do Deloitte Millennial Survey, uma pesquisa realizada anualmente e que já está em sua 7ª edição, aponta que a geração do milênio está se sentindo desconfortável sobre o futuro.

O crescimento de tecnologias da Indústria 4.0 – que vão da robótica e internet das coisas à inteligência artificial e cognitiva – tem alterado a natureza do trabalho. Sem contar as turbulências na política que desafiam a ordem mundial estabelecida.

A sensação comum a essa geração é de alerta. Bem, você sabe, geração do milênio é a famosa geração Y, que inclui os nascidos após o início da década de 1980 até ao final da década de 1990.

E o relatório da Deloitte Millennial baseia-se na opinião de 10.455 millennials questionados em 36 países. O estudo também inclui respostas de 1.844 membros da geração Z, aqueles que seguem a geração do milênio no local de trabalho. São os nascidos entre 1995 e 1999.

Hora de empreender

Essas novas gerações são ousadas. E já se preparam para arregaçar as mangas e empreender. Olha só esse dado: 61% dos jovens da geração Z pretendem sair do emprego dentro dos próximos dois anos.

Na Geração Y, a porcentagem também é grande: 43% querem deixar seus empregos, segundo o relatório.

O cenário clama por empreendedores. E muita gente já atendeu a esse chamado. Uma pesquisa revelou que no ano passado, a cada cinco brasileiros adultos, dois eram empreendedores.

A pesquisa Global Entrepreneurship Monitor (GEM) foi realizada em 49 países, e no Brasil teve o apoio do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae).

Esse foi o segundo melhor desempenho para a taxa de empreendedorismo brasileira desde 2002, quando o índice começou a ser medido.

Investimento em startups

Essa dinâmica também já pode ser vista nos investimentos que têm ocorrido em startups no mundo. Em 2017 foram investidos 140 bilhões de dólares nesse mercado.

No início de 2019, o grupo japonês SoftBank anunciou a criação de um fundo de investimento de 5 bilhões de dólares focado em projetos de tecnologia na América Latina.

A boa notícia é que o Brasil tem recebido a maior fatia desse aporte.  Só para se ter ideia, os investimentos triplicaram de 2016 para 2017, ano em que foram investidos um bilhão de dólares em startups na América Latina.

Ok, mas por onde eu começo?

Primeiro, vamos dar uma pincelada nas etapas para criar uma startup.

Em seguida, focaremos na etapa fundamental. Aquela que vai fazer o seu negócio alavancar: a parceria.

Confira esse checklist inicial:

1 – Conheça o mercado onde quer atuar

Saiba o que já existe, o que falta, quais são as tendências, quem são esses players, enfim, informe-se.

2 – Valide sua ideia

Converse sobre ela, pergunte a seus clientes sobre a necessidade deles e procure saber se esse é um tipo de negócio em que as pessoas investiriam.

3 – Elabore um Mínimo produto Viável (MPV) e mãos à obra

Planeje como irá monetizar seu negócio, como pretende se conectar com seu público, quais recursos e ações você supõe que sejam necessários. Porém as respostas devem vir dos seus CLIENTES!

Desenhe um MVP e então experimente a relação entre seu produto e seus clientes antes de fazer grandes investimentos.

Bem, esses são só alguns dos primeiros passos. Ainda será preciso pensar em contratação, investimento, regulamentação, marketing. Renderia um artigo só sobre isso (em breve, ele será publicado aqui).

Mas o que queremos mesmo neste artigo é te contar sobre a grande sacada: a parceria startup.

Parceria Startup – o que faz a diferença

Pense bem, desde pequeno você teve parceiros na vida. Seus irmãos ou primos nas artes da infância… Na escola, seus colegas para ajudar a estudar ou dar uma força naquela paquera.

Nos negócios não é diferente. Ninguém sobrevive sozinho, é preciso ter parceria.

Por exemplo, nas startups em que a base é a web, a tecnologia é o fator chave para o sucesso. A ferramenta precisa ser adaptada constantemente. Então, você precisa de um parceiro que compreenda bem essa dinâmica, se não, seu negócio pode ir por água abaixo.

E esse é o grande desafio! Saber como desenvolver a tecnologia para a sua startup

Tipos de Parcerias Tecnológicas para Startup

Bem, vamos lá. Existem três possibilidades de parceria para uma startup.

Você pode:

Buscar uma Software House

É uma alternativa, mas de cara encontramos alguns problemas:

– Escopo do projeto congelado

– Novas funcionalidades, o que pode representar custos adicionais

– Alto investimento inicial (>100k)

– E alguns objetivos conflitantes: enquanto o empreendedor busca o sucesso da startup, a Software House busca maximizar a receita.

Sem contar que, muitas vezes, a agilidade no suporte à plataforma é bem baixa.

Buscar um sócio de tecnologia

Esta é outra possibilidade. Mas cuidado!

Há poucos desenvolvedores com experiência ampla em programação e negócios.

Além disso, quando apenas um desenvolvedor trabalha no projeto, vai levar um longo tempo para atingir um protótipo e o MVP (Minimum Viable Product).

A participação para o sócio Tech é baixa, considerando que o empreendedor tem a ideia, faz o networking e tem o know how do mercado.

Optar por uma Venture Builder

Em época de romper modelos antigos e empreender, surgem as Fábricas de Startups, também conhecidas como venture builders.

As Fábricas de Startups são organizações que constroem startups usando recursos próprios, quebrando, desta forma, os padrões das correntes de investimento de capital de risco, aceleradoras e incubadoras.

Cada venture builder tem uma atribuição específica, focada numa área de atuação em que tem know how.  Com isso, consegue garantir a seus parceiros qualidade e excelência nos serviços prestados.

Por exemplo, a Liven tem como foco principal a Tecnologia. E sua equipe, claro, conta com profissionais especializados. As startups parceiras da Liven também têm a tecnologia como carro-chefe de seus projetos.

Além da garantia de um conhecimento de ponta, há outros benefícios nesse tipo de parceria startup.

As venture builders auxiliam com outras expertises como captação de investimento, infraestrutura, marketing, jurídico, contábil, e muito mais.

Tudo isso faz com que o com o processo de inovação das startups seja otimizado, reduzindo os custos e, por consequência, os riscos.

E tudo isso dá mais foco ao empreendedor para fazer o negócio crescer!

Quer saber mais sobre como funciona essa parceria startup? Entre em contato que explicaremos os detalhes. Para isso, é só CLICAR AQUI.

Você tem dúvida sobre algum ponto levantando por este artigo ou sugestões de outros conteúdos? Compartilhe conosco nos comentários. Até a próxima!

One Comment on “Parceria Startup | Quais são as melhores opções?”

  1. Pingback: Estação Hack seleciona startups parceiras da Liven para aceleração

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *